Escrito ao som de "System Of A Down - Boom!"

Muitos filmes que contam histórias de guerra costumam nos fazer refletir sobre as atrocidades que o ser humano é capaz de fazer por um ideal. Outros contam que em meio a esse terror existem pessoas que arriscam (e muitas vezes sacrificam) a própria vida para tentar salvar outras. Como ponto em comum, esse tipo de filme nos conta histórias tristes, onde há muito sofrimento, muitas pessoas morrem, grande parte delas inocentes. Mas eu duvido que algum outro filme seja tão pesado quanto a animação japonesa "O túmulo dos vagalumes", que desde a primeira cena já nos dá uma notícia ruim (a imagem acima não é um spoiler, é exatamente a primeira cena do filme).

"O túmulo dos vagalumes" ("Hotaru no Haka" no título original em japonês) é de 1988 e foi feito pelo Studio Gibli, responsável por várias outras animações famosas, como "A viagem de Chihiro" e "Meu amigo Totoro". O filme, que se passa na cidade de Kobe, no Japão, durante os últimos meses da Segunda Guerra Mundial, conta a história de Seita, um pré-adolescente, e sua irmã mais nova, Setsuko, filhos de um capitão da Marinha Imperial Japonesa. Ao perderem a mãe durante um bombardeio, o filme acompanha os dois em uma luta desesperada para sobreviver sozinhos à fome, doenças, miséria, abandono, indiferença e à própria guerra, mas a principal luta é a de Seita para proteger a pequena irmã, que por ser muito nova, não tem noção do terror que os cercam.

Talvez essa inocência é que dê um clima tão pesado ao filme, como quando Setsuko quer ver a mãe (que está hospitalizada em estado muito grave, à beira da morte) e ao saber que não poderá vê-la, se encolhe no chão, chorando mas tentando esconder o choro, ao passo que seu irmão, também muito triste, vendo essa cena arrasadora tenta distraí-la, brincando, fazendo graça, tentando espantar a tristeza (não só dela, mas dele também).

O filme tem muitas outras cenas pesadíssimas para um desenho. São cenas pesadas não pelo visual (que aliás é muito bonito), mas pela tristeza que fazem você sentir. Se você entrar realmente de cabeça no filme, tenho certeza que vai terminar bem pra baixo, bastante triste, e pensando em situações parecidas que ocorrem ainda hoje, em conflitos ao redor do mundo, onde famílias são separadas, crianças ficam órfãs ou abandonadas, inúmeras mortes e todo tipo de sofrimento.

Já vi muitas postagens falando que esse é um dos filmes mais tristes que ja fizeram. Aliás, foi assim que fiquei sabendo dele: em um post do Facebook, uma página de cinema perguntava qual o filme mais triste que os seguidores já assistiram, e "O túmulo dos vagalumes" foi bastante citado. Uma avaliação de um crítico de cinema classifica esse filme como "a mais poderosa obra anti-guerra já feita".

Enfim, apesar de ser um filme bem triste, indico a assistirem, pois é uma obra sem igual, e com isso vale citar um outro comentário sobre o filme que se encaixa perfeitamente: esse é o melhor filme que você jamais vai querer assistir de novo. E realmente você não vai querer assistí-lo outra vez, porque vai ter um impacto muito forte no seu psicológico.

O filme completo está no YouTube, com legendas em português. Se quiser assistir, só dar play no vídeo abaixo.